Home / World / Photography / Da beira da estrada à La Serena e Coquimbó (cidade atingida pelo terremoto e Tsunamy a poucos meses)

Da beira da estrada à La Serena e Coquimbó (cidade atingida pelo terremoto e Tsunamy a poucos meses)

11º dia – Da beira da estrada à La Serena e Coquimbó (cidade atingida pelo terremoto e Tsunamy a poucos meses)

 

O caminho entre “a estrada” (pernoite a beira da estrada) e La Serena é muito bonito TAMBÉM, curtimos muito o litoral que é bem diferente do nosso, muita pedra e montanha, pouco lugares para entrar no mar, mas muito lugar de tirar o fôlego, as fotos ficaram lindas.

 

Chegamos em La Serena e fomos direto a beira mar (muito esperada) e tiramos algumas fotos do ponto turístico da cidade…..O FAROL.

 

Fomos até Coquimbó para conhecer a cidade do terremoto, Tsunbamy e da Cruz do 3º milênio.

 

A cidade de Coquimbó é uma cidade que vive da pesca e da sua fé. Há muitos pescadores e aves, existem feiras de artesanatos, pescados, frutas e verduras típicas.

 

Comemos queijo, experimentamos charque de cabra, conhecemos a feira.

 

Almoçamos no melhor estilo “Coquimboense” para vivenciar a cultura local, comemos na feira da rua um prato com 3 filés de merluza, arroz, maionese de batata, pão e molho de pimento, eu adoro molho de pimenta e comi muito com o pão antes do almoço…..resultado………tomei quase 1 litro de coca cola antes do almoço…….kkkkkkkk….

 

Visitamos a cruz do terceiro milênio com 93 metros de altura, não subimos o elevador para ver a vista de cima pois não tivemos interesse e tinha de pagar. A construção é magnifica, grandiosa, foi feita para expressar a fé do povo local e que ao mesmo tempo é a mesma fé do povo chileno que temos visto por onde passamos.

 

Saímos a procura de um Camping ou Hostel as 16:30……demos sorte e achamos um pela metade do preço que nos pediram quando chegamos na cidade…..viajar de carro, que nem loco, é assim mesmo, uma delícia, as vezes dormimos na rua, outras em camping, Hostel, Hotel, etc…….mas nunca fechamos nada na primeira tentativa. Pagamos 20.000 pesos por um quarto privativo em hostel novo, a dona era uma Chilena que já havia dirigido até o Rio de Janeiro, muito gente boa.

 

Curtimos a beira mar até o sol se pôr que acontece as 21:50 horário do Brasil pois aqui não há horário de verão e o sol se põe um pouco mais tarde, e que pôr do sol.

 

Em nosso hostal tinha, novamente, um casal de americanos viajando pelo mundo numa defender laranja, estamos começando a ficar com (mais) vontade de abandonar tudo e sair pelo mundo também na nossa Kombi 1966…..kkkkkkkk

 

A noite fomos dar uma caminhada e comemos papas fritas em um “boteco” que não servia bebida alcoólica e finalizamos com um leite com chá preto….uma delícia, já somos quase chilenos…..kkkkkk……

 

Em outro post falei que em San Pedro do Atacama não se podia beber na rua mas na verdade é em todo o Chile que não se bebe nada alcoólico a não ser no bar ou em casa.

 

Resumo do dia:

 

 

140 Km rodados

 

Temperatura mínima 12ºC

 

Temperatura Máxima 32ºC

 

Pôr do sol fantástico.

 

_DSC2003

_DSC2151

_DSC2153

_DSC2170

DSC_1992

DSC_1994

DSC_2085

DSC_2094

DSC_2124

Check Also

De Entre lagos à Bariloche.

www.mundo100fronteiras.com.br     22º dia – De Entre lagos à Bariloche.     Hoje foi ...

2 comments

  1. Parabéns a vcs, grande iniciativa, este é um grande sonho, que tb alimento, quem sabe na próxima poderemos dividir este sonho!
    Grande abraço, e um ano de 2016 repleto de ótimas realizações!
    Alex Milke

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *